AO VIVO
Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021
Busca
Florianópolis
26ºmax
18ºmin
Correio
TELEVISÃO

Glória Maria vai contar a história dos 70 anos da TV brasileira

O programa vai ao ar no dia da primeira transmissão no Brasil

14 setembro 2020 - 07h00Por Martha Alves*

Com 40 anos de jornalismo, Glória Maria vai ajudar a contar a história dos 70 anos da televisão no Brasil no Globo Repórter que vai ao ar nos dias 18 e 25 de setembro.

Os dois programas serão apresentados por ela e Sandra Annenberg, que se unem a Edney Silvestre, Renato Machado e Isabela Assumpção para entrevistar atores, personalidades e apresentadores.

"A gente pretende contar um pouco da história da televisão desde que ela surgiu. Vamos passar pela dramaturgia, pelo esporte, pelo jornalismo, pela música. É óbvio que não temos condições de mostrar tudo, primeiro, por causa do tempo e também muita coisa se perdeu", disse Glória.

O primeiro programa desse especial será exibido na próxima sexta-feira (18), exatamente 70 anos após a primeira transmissão de TV no Brasil, que ocorreu em 18 de setembro de 1950, com a inauguração da TV Tupi. E essa linha do tempo, segundo ela, passará por todas as emissoras.

"Neste momento de modernização da televisão, resgatarmos um pouco do passado vai ser fundamental para podermos entender o que está acontecendo hoje. Quando você pensa que a TV começou ao vivo e agora está praticamente tudo ao vivo de novo, é uma coisa intrigante."

Glória conta que um dos entrevistados, o "Rei" Roberto Carlos, que apresentou o programa Jovem Guarda, exibido ao vivo, nos anos 1960, lembra que foi um dos momentos mais emocionantes quando se viu pela primeira vez num programa gravado.

A apresentação desse especial marca o retorno de Glória ao Globo Repórter, onde está há dez anos. Ela estava afastada havia nove meses do programa, após passar por uma cirurgia no cérebro.

Ela descobriu um tumor depois de desmaiar em casa. "Eu não tinha nenhum sintoma, nenhuma dor de cabeça. Caí em casa; tive um corte na cabeça. Fui ao hospital para costurar, e, no exame para descobrir por que eu tinha desmaiado, descobriram o tumor", conta.

"A cirurgia foi em novembro; quase em março eu estava recuperada. Não estava totalmente, mas já daria para trabalhar com muito cuidado. Não daria para viajar, porque eu ainda estava em tratamento. Aí veio a pandemia. Quando tive de parar de ir para o mundo, o mundo também parou."

Com passagens pelo Jornal Nacional, pelo Jornal Hoje, entre outros, Glória lembra que foi para o Globo Repórter para concentrar as viagens pelo Brasil e poder cuidar mais das filhas já que, no Fantástico, ela estava sempre em algum lugar do mundo. "De repente, mudou tudo: estou muito mais no mundo (risos). Mudou de uma maneira natural, mas consegui administrar minha vida como mãe, e as viagens foram surgindo cada vez mais porque deram supercerto no programa", disse.
 

*Com informações da AE