AO VIVO
Menu
Busca terça, 27 de julho de 2021
Busca
Florianópolis
20ºmax
13ºmin
Correios Celular - Mobile
Covid-19

Com casos de Covid-19 em alta, governo de SP prorroga medidas restritivas até 15 de julho no Estado

24 junho 2021 - 12h00Por Priscila Carolina Dalagnol

O governo de São Paulo prorrogou novamente o afrouxamento das medidas sanitárias, que estava previsto do dia 30 de junho em diante. Esta é a terceira vez que o executivo recua nas fases de transição e precisa rever as medidas de retorno à normalidade. 

Com a mudança, as regras atuais para o funcionamento das atividades econômicas foram estendidas até o dia 15 de julho. E seguem as mesmas: com estabelecimentos funcionando das 6h às 21 horas e máximo de 40% de ocupação.

“Devido aos índices ainda elevados de casos, internações e óbitos da pandemia em SP, o Governo do Estado vai seguir mais uma vez a recomendação do Centro de Contingência da COVID-19 e prorrogará a fase de transição do Plano SP até o dia 15 de julho”, explicou o governador João Doria.

O estado de São Paulo registrou 358.208 casos da doença do início do mês até esta quarta-feira (23). No mesmo período de maio foram 341.713 novas contaminações. A média diária de casos também vem apresentando alta há 13 dias consecutivos. E está acima de 17 mil há uma semana. 

A média diária de mortes também está 21% mais alta do que há 14 dias, chegando em 560. As interações, contudo, caíram. E a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 78,3% no estado. No total, SP contabiliza mais de 3milhões e 630mil casos confirmados e 123 mil e 825 mortes por Covid.

Além do horário limite e da restrição de capacidade, todas as atividades econômicas devem continuar cumprindo todos protocolos de segurança sanitária, com distanciamento, uso de máscara e álcool 70%. Permanecem liberadas apenas as celebrações individuais e coletivas em espaços religiosos, também seguindo todos os protocolos de higiene.

O toque de recolher nas 645 cidades do Estado, das 21h às 5h, também está mantido. E ainda a recomendação de teletrabalho para atividades não essenciais e escala de horários para entrada e saída de trabalhadores dos setores de comércio, serviços e indústrias. Outras 127 cidades paulistas já determinaram regras municipais mais rígidas de combate ao coronavírus.

Com informações do Governo de SP.