AO VIVO
Menu
Busca sábado, 10 de abril de 2021
Busca
Florianópolis
30ºmax
21ºmin
Control
Política

Bolsonaro: recebimento indevido seguro-defeso tem que parar

Presidente negou possibilidade de extinguir o benefício

11 setembro 2020 - 02h20Por Paulo Toledo*

O presidente Jair Bolsonaro enfatizou que não pretende extiguir o seguro-defeso para viabilizar o programa Renda Brasil, mas que o governo precisa "dar um jeito" de tirar aqueles que recebem os recursos indevidamente. Bolsonaro disse que o auxílio continuará a ser pago normalmente. O presidente falou sobre o tema ao lado do secretário da Pesca, Jorge Seif Jr., durante transmissão ao vivo nas redes sociais que faz semanalmente. Na live estava também a Youtuber Ester, de 10 anos.

"A questão do Renda Brasil... O pessoal dá ideias, quem decide na ponta da linha o programa é o Paulo Guedes e eu. Nós ouvimos todo mundo", disse Bolsonaro.

De acordo com o presidente, "algumas ideias que chegam são absurdas". "A questão do seguro defeso é por quatro a cinco meses por ano, mais ou menos R$ 1 mil por mês, onde o pescador não pesca", explicou o presidente.

Durante a transmissão, ele chegou a colocar em dúvida se todos os 1,2 milhão de pescadores cadastrados no seguro defeso estão aptas a recebê-lo. Do total, Jorge Seif Jr. disse que 800 mil recebem. Bolsonaro falou, então, que o governo precisa "dar um jeito" de tirar aqueles que recebem os recursos indevidamente.

"Segundo a CGU, 69% são pessoas que não vivem da pesca, não sabem diferenciar um camarão de uma baleia", disse Seif Jr. sobre os beneficiários, destacando que está sendo feito o recadastramento. O secretário afirmou que está atuando para cruzar dados e reduzir o número de pessoas que usam o auxílio indevidamente.

*Com informações do EC